domingo, 5 de junho de 2011

UBIGUIDADE




Estás em tudo que penso,

Estás em quanto imagino:

Estás no horizonte imenso,

Estás no grão pequenino.


Estás na ovelha que pasce,

Estás no rio que corre:

Estás em tudo que nasce,

Estás em tudo que morre.



Em tudo estás, nem repousas,

Ó ser tão mesmo e diverso!

(Eras no início das cousas,

Serás no fim do universo.)



Estás na alma e nos sentidos.

Estás no espírito, estás

Na letra, e, os tempos cumpridos,

No céu, no céu estarás.


Manuel Bandeira

Um comentário:

Alessandro Padilha Bella Martini disse...

Grande Wanderley,
Sou sempre verdadeiro,honesto e muito autentico,mas o preço de ser assim é muito alto,mas prefiro paga-lo com total certeza.
Fiquei muito feliz com sua consideração pelo e-mail,e tenho muito prazer em ter a sua companhia.

Muita Luz

Beijo no coração
Alessandro