quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Uma Noite Feliz!

"Então é natal! A festa cristã". E você vai se reunir com sua familia e comer até encher a pança e beber até de madrugada e nem vai saber o porquê. Dizem que Jesus nasceu nesse dia. Se isso é verdade ou mentira não importa. É um dia alusivo ao seu nascimento e só por isso já vale. Mesmo que seja mito a sua estória não posso deixar de reconhecer o belo exemplo de amor dessa figura à quem chamamos Jesus. Quem dera eu conseguir seguir as suas pegadas, mesmo que de longe como o fez o nanico Zaqueu, o cobrador de impostos desprezado por todos e a quem Jesus disse: "desse desse árvore Zaqueu, pois, hoje mesmo pousarei em tua casa". E Zaqueu ficou inflamado e sem acreditar no amor que lhe inundara naquele momento. Desceu da árvore e, sabedor de sua indignidade, replicou: "Senhor, não digno que pouses em minha casa". Mas, Jesus foi para a casa dele que, já convertido ao amor divinal, informou: "se roubei alguma coisa de alguém, devolverei em dobro!". E Jesus declarou: "Hoje chegou salvação à esta casa".

Aquela noite foi natal na casa de Zaqueu. Foi a data do nascimento de um novo ser em Zaqueu e uma alegria sem tamanho inundou a sua casa. Ele recebia a Jesus em sua vida e em seu coração. Ali estava uma nova criatura, transformada pelo amor do Cristo. Não há como negar a energia transformadora do amor. O amor tudo pode. É logânimo e paciente. 

E para aqueles que, assim como eu, são dados à certa reclusão em tais festas eu vos informo que é possível não está só mesmo que solitário. Sinto as energias emanadas daqueles que me amam e que não podem está comigo hoje. Eu, da mesma maneira, penso neles e lhes sinto enorme saudade. Além do mais, ante o Cosmos infinito, agradeço por todas as lutas e por todas as vitórias. 

Tenho pão recheado de goiabada para a minha ceia. E pense na felicidade que sinto! Meu coração explode de felicidade e as lágrimas me vêm ao rosto. Obrigado a todos que me querem e eu vos desejo todo o amor! O mesmo amor que salvou Zaqueu inunde hoje as suas casas e seus corações.


Wanderley Lucena

Nenhum comentário: