sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

A PREGUIÇA


Meu dia deveria começar às nove horas, como sempre. Entretanto, quando levantei e liguei a tv, a reapresentação do Bom dia Brasil, na Globonews, já tinha acabado. Passavam das dez horas. Tomei meu café numa preguiça monumental. Tomei um banho para tirar a inhaca e me preparei para a academia. Já descia as escadas quando me senti travado. Meu corpo pedia para ficar em casa, a fazer quase nada. Obedeci o comando da carne e cá estou, sentado a ver a horas passarem, se não na total inércia porque escrevo isto.

Mas é que por vezes me deixo levar pela preguiça. E tal atitude, no momento em que me encontro, aposentado, não me traz grandes prejuízos. Não tenho mais a obrigação de cumprir horários à risca como quem ainda está na ativa. E não foram poucas as vezes em que a obrigação me fez acordar na madrugada para cumprir o horário, para "bater ponto" no trabalho.  

O cheiro dos temperos que vêm da cozinha me chegam às narinas e me despertam o apetite. É sexta-feira de carnaval. Vou cair na folia. Queimarei as calorias nos blocos a dançar as "marchinhas".

Ceder, ao menos de vez em quando, ao desejo de fazer nada é privilégio que disponho.

Wanderley Lucena

Nenhum comentário: