sábado, 7 de janeiro de 2012

IRONIA MORTAL

Toda ironia traz em si uma carga que, na maioria das vezes, é negativa. A tentativa de se fazer entender nas entrelinhas é por demais desgastante. Geralmente quem fala por ironia quer mesmo ser desagradável. Quer ser compreendido, mas, não de imediato, porém, depois de algum tempo. Depois do ouvinte digerir o que lhe foi dito e interpretá-lo na exata medida ou superdimensionada aquilo que lhe foi dito. 

O problema é que, muitas vezes, o ouvinte mais relaxado não consegue entender que o que lhe é falado é pura ironia. O irônico tem de fazer novas invertidas, cada vez mais objetivas. E como aborrece a indiferença! As vezes nem é indiferença, é burrice mesmo. E se tem algo que aborrece profundamente ao irônico é a burrice, a lerdeza de raciocínio.

Quando o ironizado também é irônico as coisas ficam ainda piores. É muita energia gasta. O irônico ironizado vai se digladiar com seu oponente em luta sem fim e sem sentido. Sairá frustrado, provavelmente. Os dois sairão com a sensação de que poderiam de dito ainda mais. Que as ironias não foram irônicas o bastante. 

A ironia é a linguagem do desdém e do desprezo. A linguagem dos que, na sua empáfia, se consideram melhores. É a linguagem maldita da crítica covarde que não pode e não quer, ser dita com todas as letras. Tanto que, geralmente, o irônico dá de costas e se vai embora tão logo destila o seu veneno deixando o ironizado mudo, estupefacto, paralisado, ante o ataque desmedido e despropositado. 

E se falo de tal assunto é porque sou por demais irônico. É bem verdade que tenho me esforçado no sentido de ser menos agressivo nas minhas ironias. É verdade que tenho tido algum sucesso, mas me é trabalho quase hercúleo. E minha terapeuta me disse que a ironia é linguagem de pessoas inteligentes, acima da média - creia-me, ela me disse isso. E minha inteligência não está acima de média nenhuma. Aliás, minha memória está indo pro espaço e me sinto um ignorante ante qualquer assunto. Mas eu entendi o ponto de vista, diga-se, profissional dela.

Mas é certo que ironia faz mal. Faz mal a quem ouve e entende como à quem foi irônico. É veneno que permanece no corpo, no coração e na alma e fica empapuçando o indivíduo por horas, às vezes, dias. A ironia é mesmo uma m...! Haja terapia!

Wanderley Lucena

2 comentários:

Lílian Oliveira disse...

Fato. Se tem uma coisa que me incomoda é não falar diretamento o que quer dizer. Como boa libriana gosto das coisas às claras e um comentário irônico tem o poder de me irritar profundamente. Mas admito que as pessoas irônicas são bem inteligentes. Se alguém pergunta minha opinião solto na lata,mas com aquela diplomacia que é marca registrada nos librianos...rsrsrs. Adorei o texto, você é sim inteligente acima da média.

VeraBruxa disse...

Olá!
Felizes as crianças e os velhos que não percebem ironias...
Abração.