sábado, 12 de novembro de 2011

CARTA ROMANA


Roma, 12 de novembro de 2011.

Caro Amigo;

É com saudade do Brasil que te escrevo desde esta cidade monumental que se Roma.  A cidade é um imenso sitio arqueológico a céu aberto. Não importa para que lado olhes, verás um monumento , uma igreja, uma ruína. E não penses ser algum deles discreto. De forma alguma!

Aqui se pisa em pedras que calçam a rua desde os tempos de  Calígula ou Julio Cézar.  Estive na Via Ápia e senti as bigas a transitarem conduzidas por romanos a se dirigirem para o Coliseo. A via Marguta é belíssima e foi endereço do Felinni. Rua tipicamente romana que sai desde a Piazza di Spagna. A praça está sempre abarrotada de gente e suas escada sobem em direção a uma igreja  de onde se pode ver o por do sol ao longo da Via Condotti.

O Vaticano é um absurdo. Não parece coisa de homens. Parece que estamos em outra dimensão.  Nunca tinha visto tanta arte. Desde a Basílica de São Pedro à Capela Sistina. Não há como descrever aquilo. Do teto ao chão é tudo arte. No horizontal ou no vertical. Pura arte sacra.

Todos os papas estão enterrados no subterrâneo da Basílica. Tive de Pará e reverenciar ao Papa João Paulo II. Homem de elevada espiritualidade que merece minha reverência. O túmulo de Pedro, o Apóstolo, o pai da Igreja Católica é emocionante igualmente.

Amanhã estaremos em Florênça e são novas emoções.

Um abraço.

Wanderle

Um comentário:

VeraBruxa disse...

Olá cigano...
Boas vivências!
Abraço.