sábado, 17 de setembro de 2011

TEMPO, TEMPO, TEMPO.

É incrível como, no melhor da vida, quando curto minha sonhada e merecida aposentadoria, o tempo passa rápido como um trem. O dia ficou menor, muito menor. Acordo, tomo meu café, mal entro no computador, dou uma fuçada na net e já é hora do almoço. Depois de fazer uma "siesta", quando dá, já é hora de ir pra academia. Chego em casa e já está na hora da novela das seis. Logo já ouço jingle do Jornal Nacional. Um lanche noturno e já estou vendo meus lençóis a me chamar, como se feiticeiros, a lançar-me a algum tipo de encantamento. Quando menos espero já estou no braços de Morfeu. 

Fico pensando que se o tempo passa, a idade aumenta. Se a idade aumenta, a morte se aproxima. E queira Deus morra eu de morte morrida e não de morte matada. Bem que o relógio podia atrasar. As horas podiam passar mais devagar. O dia podia ter o dobro de horas. O ano podia ter o dobro de dias. 

É bem verdade que acordo mais tarde. Saio quando quero e sem hora pra voltar. Não tenho a rotina obrigatória do trabalho. Tenho a rotina inevitável dos afazeres domésticos. Acordar é necessário, assim como, preparar o café, sair pra almoçar, pra ir ao banco... e assim por diante. Mas certo é que o tempo se esvai como a areia por entre os dedos. 

Certa vez ouvi o Paulo Autran a dizer que a vida só é boa por causa da morte. Sem a morte, a vida seria um verdadeiro inferno, dizia ele. E concordo. Mas cadê a fonte da juventude? Juro que transformaria a minha vida em inferno. Beberia uma garrafa da tal água. Talvez tomasse um porre. Andaria borracho a sorrir, a cantar, a dançar e... riria para as paredes. 

Se não tenho a fonte da juventude, sugarei até a última gota do que a vida me oferece. Viverei intensamente. E nessa caminhada levarei o mínimo de bagagem. Pararei para falar com estranhos e farei amizade com eles. Não quero saber: me recuso a está morto em vida. Vive la vie! Vamos a Paris?

3 comentários:

Madá disse...

Vamos, sim!

Ilusória é a percepção de achar que por que as horas, os dias, os anos passam a morte se aproxima... A "Dona Morta" está por ai, não esperando o avançar da nossa idade, mas esperando que lhe seja conssentida a nossa sentença... Quisera eu ter 7 vidas... Quiça, tenho e não me dou conta...

Quero viver mais. Quero viver mais e melhor... Quando me for chegada a hora, quero poder atrasar o relógio... Tempo, tempo, tempo: Quer os dias passem lento, quer dias demorem a passar... Que façamos do tempo o nosso grande aliado.
Que o nosso mês de outubro passe rápido, que o nosso mês de (doce)novembro passe bem devagar... Tudo depende dos olhos de quem vê, sente e degusta a vida.

Abracinhos, Madá.

VeraBruxa disse...

Olá!
Oba! Eu não estou só! Minha aposentadoria fez com que o tempo passasse mais depressa! E ainda me perguntam: tu não enjoas de ficar sem ter o que fazer? Ora, sempre tenho o que fazer, só que numa velocidade quaaase zero...aproveitando cada instante... Paris? Claro! Um dia vou!
Abraço.

VeraBruxa disse...

Olá!
Ora! És um bruxo! Teu carinhoso feitiço me fez feliz! És um mago! As estrelas que depositas na esperança de que os homens podem ser melhores, é magia pura. Obrigada.
Abraço,
Vera Mosmann.
PS:bom teres repetido a postagem, não recebi a primeira.