sábado, 27 de agosto de 2011

A LEI DO RETORNO - (Uma crônica pesada para... descontrair).


"Eu lhe desejo a Lei do Retorno" - Ouvi o velho clichê e fiquei pensando na tal Lei Espiritual que prega: "o que você fizer ou desejar, voltará para você". O moço não me desejava que a tal lei se me retornasse por causa das tantas coisas boas que produzi e sim, pelas coisas erradas. E todos erramos... e todos acertamos.

Oras! O moço ao me desejar a lei do retorno, conforme se via em seu olhar amargo e ressentido, queria me ver como motivo de escárnio, leproso, quiçá... morto, num futuro muito próximo. Com certeza ele iria sentir-se vingado e, porque não, feliz e agradecido ante a natureza e sua justiça implacável e infalível. Ocorre que o moço, em sua amargura e rancor, ao intentar-me tanto mal com a lei do retorno, esqueceu-se que o seu desejo para comigo pode voltar-se contra ele também, segundo a mesma Lei. 

Eu fico com o ensinamento simples e nada novo do Profeta Gentileza: "Sorria para o mundo e ele sorrirá para você"; "Gentileza gera gentileza" e etc... e tal. Mas, não tenho nenhuma vocação para a santidade. Nunca fui santo. Sou mesmo um pecador assumido e "carente da graça de Deus". Que ele tenha misericórdia de mim e do moço rancoroso e de seus desejos tão turvos. 

Não sei se a Lei do Retorno existe, mas precavido... desejo ao moço tudo de bom. Saúde e paz! O resto a gente corre atrás. Mas um banho de sal grosso tomei logo que cheguei em casa. É que "prudência e canja de galinha não faz mal a ninguém", não é mesmo?

Wanderley Lucena

Um comentário:

VeraBruxa disse...

Uau!
Acredito que rancor, ciúme ou algo do gênero, só faz mal para quem sente mesmo! Mas...um banho de sal grosso é providencial...prevenir sempre é bom...hehehe... Costumo dizer que a vida dá o troco! Então, por mim, que venha a lei do retorno!
Abraço.