quarta-feira, 24 de agosto de 2011

CRIANCINHAS NADA INOCENTES


Eu vi as imagens nos jornais televisivos das crianças, menores de 11 anos, a depredar os órgãos públicos e fiquei indignado. Viciados em crack eles invadiram um hotel na "cara dura". Ao serem flagrados, reagiram destruindo tudo o que podiam alcançar. Os policiais os levaram para a Delegacia e depois para o Conselho tutelar. Depredaram as instalações enquanto eram observados pelas autoridades impedidas de agirem ante a lei vigente que protege tais criancinhas inocentes.

Mas em seguida fiquei pensando no que aconteceu para que tais criancinhas, nada inocentes, tão precocemente, tivessem perdido a sua infância e no fato de preferirem o crack, a violência das ruas, os bueiros de esgoto, etc... aos seus lares, às suas famílias. O que poderia estar por trás de tanta agressividade?

Gritou na minha cabeça, de imediato: O ESTADO! Sim, a ausência do estado no social. Aquelas crianças jamais tiveram família. É na família onde aprendemos os primeiros valores. É no exemplo e dedicação de nossos pais que miramos o futuro e desejamos ser adultos como eles. É com o amor que aprendemos a amar.

Minha revolta se deslocou para essa imensa estrutura invisível chamada "ESTADO". Pois esse imenso elefante também virou prisioneiro. Ele está acorrentado por uma das pernas. Quem o acorrentou quer apenas aproveitar-se de toda a energia que ele dispõe. O ESTADO não consegue dar um único passo em direção a quem dele precisa.

O ESTADO serve aos políticos. O estado é possessão dessa corja. O Maranhão virou um feudo que passou de pai pra filho. O velho senhor feudal apropriou-se do Acre. Roraima tem um bigodudo por proprietário. Enfim... não citar aqui todos os estado da federação. Mas certo é que todos eles tem o seu dono.

Quem pode mudar essa realidade continua a dormir indolentemente. O povo assiste a tudo. Ver a miséria e os impostos arrecadados desviados em bicas gigantes para os bolsos desses indivíduos. Quando acordarmos e nos levantarmos contra a tirania, tomara, o Estado volte a ser aquele idealizado pelos gregos.

O Estado se interessará por manter o cidadão com dignidade a ele inerente. Família, educação, segurança e saúde não estarão em último plano. As nossas crianças não largarão seus confortáveis edredons para morarem em bueiros nem serão os animais irracionais que vimos na reportagem.

Então... agora sei quem roubou a inocência da criancinhas e quem aprisionou o Estado. Mas outra pergunta me martela a cachola: quem é o culpado por tudo isso? Já sei a resposta: eu e você... que pagamos impostos e, no entanto, permanecemos inertes ante tais descalabros e injustiças e nada fazemos. Eu e você... que elegemos o bando que se estabeleceu no Congresso Nacional, em todos os poderes, e fizeram refém, o ESTADO.




Nenhum comentário: