sexta-feira, 24 de junho de 2011

SOPA DE DENTE

Estávamos sentados à mesa quando percebemos, aos risos, algo de diferente no sorriso dele. Meu amigo, sentado à minha frente, acabara de perder um dente ou mais da metade dele. Bem no meio do sorriso, na arcada superior, uma imensa falha acabara de surgir.   Não havia dúvida. Ele perdera um dente. No lugar ficou nada, apenas a imensa porteira. Até então ele não percebera a sua perda. Mas com desconcerto e em polvorosa passou a procurar, desesperadamente, o dente perdido. Todos passaram a ajudá-lo na busca. Procurou-se no chão, sobre a mesa, etc... e nada. Pensou ele ter engolido o dente.  A cena era cômica se não fosse trágica.

Meu amigo é de poucas posses e, portanto, poucas condições de mandar fazer um a prótese. Entretanto, ainda mais engraçado que a perda e a janela que que via no seu sorriso, foi a estória que nos contou. O dente estava colado poe ele próprio à custa da poderosa super bonder. Sim, a super-cola que todos dispomos para aqueles reparos de urgência.

Faziam alguns meses que chegava, á noite, em sua casa. Quando abria o portão, ao puxar o ferrolho que o mantinha fechado, foi surpreendido quando o mesmo se desprendeu. Não apenas se desprendeu, mas voou na direção da sua boca e acertou-lhe o dito dente e o quebrou bem na base. O meu amigo, desesperado, passou a tatear pelo chão até que, enfim, no meio da escuridão, achou o dente. Como é de poucas economias e não podendo resolver o problema no dentista, decidiu ele próprio, e muito criativamente, resolver o problema. Super bonder, claro! Colou o dente com super bonder, a super cola instantânea, na base que ficara. Tudo certo como dois e dois são cinco. Ninguém percebeu o efeito craquelê do dente e só se percebeu o lábio inchado e roxo por causa da porrada do ferrolho que lhe acertara. Mas certo é que "ficou tudo como d'antes no quartel de Abrantes".

Procuramos e procuramos e não achávamos o dente. O prato de sopa! Restava o prato de sopa. Começou a busca frenética e desesperada e... alívio geral! O dente estava ali como a coisa mais preciosa já achada por ele. Percebemos seu sorriso e a janela, claro. 

Se recolheu ao banheiro com o dente e a minha super bonder. Saiu de lá alguns minutos depois com o sorriso restaurado. O mesmo sorriso de sempre, como se nada tivesse acontecido. Nem o mais experiente dentista conseguiria colar com tanta precisão aquele dente daquela forma. Será que os nossos dentistas cobram aquela baba de dinheiro pra colar nosso dente com super bonder? Foi a pergunta que me veio de imediato. Ficou também a gargalhada solta dos convivas e até do meu amigo que, não se fez de rogado e ria da própria desgraça.

Wanderley Lucena

2 comentários:

Edu. Matos disse...

Genial ... ahahass parti-me todo a rir hahahahaha..

Madá disse...

Excrucitante!
Perder o mesmo dente da frente duas vezes e encontrá-lo pode ser sinal de muita sorte, como pode ser sinal de muito azar... Como pode ser praga de mãe mesmo...
Considerando que algo que acontece uma vez, pode nunca mais vir a acontecer, mas se aconteceu pela segunda vez, a chance de acontecer pela terceira vez não pode ser descartada... Logo,que não seja durante um beijo.